Qual a alimentação correta durante a gravidez?

Alimentação correta durante gravidez

Toda mamãe deve saber que a partir do momento em que está grávida o seu bebê irá compartilhar com ela tudo o que ela comer. Sim, o cordão umbilical liga a placenta às artérias que transferem aminoácidos, ferro e oxigênio. Ou seja: a mamãe que se alimenta direito passa todos os nutrientes e vitaminas certas para o seu filho, fazendo com que ele nasça saudável e no peso estimado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas, afinal, qual a alimentação correta no período da gestação? E o que pode prejudicar mãe e filho? Fomos atrás dessas respostas, para que você busque mais qualidade na alimentação e forneça uma gestação ainda melhor para o seu bebê.

 

O que é importante consumir durante a gestação?

A maioria dos ginecologistas recomenda o consumo de ácido fólico (vitamina B9) via oral no início da gravidez, depois o substituindo por uma vitamina mais abrangente durante o restante da gestação. Por isso, ninguém melhor do que o seu médico para orientá-la do que comer e o que ingerir como complemento. E, por isso, nós já te damos aqui quais alimentos são fundamentais, o porquê e onde encontrá-los, afinal, a alimentação é a base de tudo.

O ácido fólico, por exemplo, é encontrado de maneira abundante no feijão, ervilha, tomate, brócolis, lentilha, grão de bico, aspargos, cogumelo, espinafre, couve, beterraba, além de frutas como o mamão e suco de laranja. Esta vitamina (B9) é necessária durante toda a vida, mas é primordial quando a mulher está grávida porque é essencial para o desenvolvimento inicial do bebê. É ela que mantém a produção de células vermelhas no sangue, ajudando no funcionamento total do corpo. E como nas primeiras semanas é quando se desenvolve o tubo neural da criança, ela se torna primordial para o desenvolvimento saudável do feto.

Outras vitaminas, proteínas, sais minerais e glicose também devem fazer parte da dieta de toda grávida. O leite e os seus derivados são ricas fontes de vitamina A, responsável pelo desenvolvimento celular, crescimento ósseo e dentário do bebê, além do sistema imunológico da gestante. Ela também é encontrada no fígado, gema do ovo, vegetais amarelos e frutas como a laranja e o mamão.

A vitamina C, que aumenta o sistema imunológico e a formação de cartilagem, é encontrada nas frutas cítricas (laranja, limão e tangerina), banana, manga, caju, rabanete, tomate e verduras escuras. Por isso, use e abuse dos sucos de frutas durante a gravidez, além de sempre montar pratos coloridos.

E quem disse que o Sol não tem a sua participação? A vitamina D, que é absorvida pelo corpo através do Sol até às 10 horas da manhã e depois das 16 horas, também é encontrada nos laticínios, fígado e gema do ovo. Ela previne o raquitismo da gestante e ajuda na formação óssea do bebê.

Niacina (vitamina do complexo B), Tiamina (vitamina B1) e Piridoxina (vitamina B6) são responsáveis pela saúde das células, produção de energia e crescimento do feto, respectivamente. São encontradas em frutas, ovos, leite, verduras, legumes, frango, peixe, leites e derivados.

O magnésio, cálcio e fósforo participam diretamente no crescimento celular e do esqueleto fetal. Por isso, mais uma vez o leite e os seus derivados devem fazer parte da rotina diária da grávida, juntamente ao feijão, ervilha, soja, cacau, nozes, cereais integrais e a gema do ovo.

Agora vamos analisar: diferentemente do que dizem, engravidar não é deixar de comer. E também não é comer à vontade: é comer bem, com qualidade. Fracione as porções de 3 em 3 horas, alternando as refeições importantes (café-da-manhã, almoço e jantar) com pequenos lanches de frutas, sucos e sopas de legumes. Lembre-se de que você está comendo por você e pelo bebê, mas isso não significa comer por dois. O que você precisa é comer de maneira certa e alimentos que tragam benefícios para vocês!

 

O que não devo consumir ou diminuir o consumo?

Um detalhe muito importante a ser ressaltado é a higienização dos alimentos, principalmente frutas, verduras e legumes. Como eles são lavados é muito importante, ainda mais se forem consumidos fora de casa. Arriscar comê-los “na rua” é um tiro no pé, pois a toxoplasmose é uma das muitas transmissões que você pode adquirir. E para uma época em que todo cuidado é pouco, as futuras mamães devem saber onde, o que e como comer. Nesse contexto também estão as carnes cruas. Para evitar a salmonela fuja do ovo e peixes crus, maionese caseira e carnes de aves malpassadas.

O café preto deve ter o seu consumo diminuído, pois acelera o metabolismo e deixa o bebê agitado. Ele não é proibido, mas para que tomar seis xícaras durante o dia, não é?

Por fim, não se esqueça da hidratação: a água é vital para você e o seu bebê, então capriche na ingestão de líquidos. Sucos, água de coco e sopas devem ser suas aliadas durante toda a gestação. Viva a saúde de vocês!

Por Priscilla Silvestre

 

Crédito da foto e mais dicas: VeoVerde.com

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here