Profissão e gravidez: qual a melhor hora para engravidar?

qual melhor hora engravidar

Em um mundo cada vez mais moderno, em que não só os bens de consumo se renovam meteoricamente a cada dia, mas também o estilo de vida, as mulheres estão pensando bastante antes de engravidar. Se as nossas avós tinham 10 filhos, hoje este número fica somente com uma pequena parcela dos brasileiros, pois a média de crianças em casa vem diminuindo todos os anos. E por quê? A resposta está na busca pela ascensão profissional e estabilidade financeira das mulheres.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para se ter uma ideia, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia Estatística) fez um levantamento em 2013 apontando que 40,4% das mulheres entre 20 e 29 anos não tinham filhos. Este é um aumento de 24% se comparado há 10 anos, no mesmo estudo feito em 2004. Entre as mulheres de 45 a 49 anos entrevistadas, 12,5% não quiseram ou puderam ter filhos.

Regina Nogueira, coach e consultora empresarial, explica o que está havendo. “Considerando as estatísticas é possível concluir que o número de mulheres que opta por engravidar mais tarde cresceu, o que mostra uma nova equação de vida dentro de uma sociedade que foi construída sobre bases não focadas na área profissional para as mulheres e sim para a maternidade, o que vem evoluindo constantemente”.

Então, diante desta realidade, qual a melhor hora para realizar o sonho de ser mãe, porém sem abrir mão da carreira profissional? Regina ressalta que essa é uma decisão da mulher, não do mercado de trabalho. “Acima de todas as dúvidas, a gravidez deve ser desejada e não existe uma regra para o momento certo, pois cada mulher possui seu tempo de assumir a maternidade e também tem as mulheres que não desejam por não sentirem-se preparadas. O ideal é que a mulher enfrente com maturidade e seja respeitada por suas escolhas”.

Alie a maternidade à profissão!

Uma mulher, ao desejar ser mãe, tem de saber que é um momento lindo e deve estar preparada financeira e psicologicamente para esta responsabilidade. Planejar-se é sempre uma ótima solução, mas nem todas as empresas estão preparadas para lidar com isso. Por conta disso, sempre esteja por dentro dos seus direitos, já que toda mulher pode sim enfrentar situações desconfortáveis no trabalho, até mesmo assédio moral.

A coach Regina Novaes dá algumas dicas para as mulheres que sonham em se tornar mães, mas não querem abrir mão das conquistas profissionais.

– Planejamento: em qualquer ocasião a gravidez deve ser planejada, pois trazer uma criança ao mundo é assumir uma responsabilidade vitalícia. Para isso, é preciso planejar-se e escolher o melhor momento na vida pessoal e profissional. Um bom planejamento e uma conversa verdadeira são essenciais para a preparação, porém, imprevistos acontecem e não se desespere, pois você terá cerca de oito meses para a preparação;

– Mudanças: tanto no campo profissional como no pessoal, a gravidez traz mudanças e você deve estar preparada para esta virada. Este é o momento de virar a chave e desempenhar o papel da nova mulher que nascerá junto com seu filho;

– Maturidade: ainda hoje algumas mulheres sofrem pressão por parte dos empregadores. Para superar este obstáculo é preciso ter maturidade e posicionar-se com serenidade em qualquer situação de enfrentamento, afinal, há um ser dentro de você, uma prioridade. No calor do dia a dia, isso deve ser sempre lembrado;

– Diálogo: comunique seus superiores e mostre que nada mudará em relação ao seu rendimento, muito pelo contrário, a gravidez é uma inspiração para mulheres que a desejam, o que consequentemente influencia positivamente no desempenho do trabalho realizado;

– Troca de experiências: Não se prive desse direito, mas pense e converse com outras mães executivas para construir sua teia de segurança e, por fim, desfrute de todo o processo.

 

Regina Nogueira Coaching e Consultoria

Regina Nogueira Coaching e Consultoria

Tels.: (11) 99193-6363/ (11) 99223-6318

Site: ReginaNogueira.com.br

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here