3 problemas comuns que podem ocorrer na gravidez

Dentre esses 3 problemas, a solução do problema #2 é resolvida de uma forma muito simples.

Grávida primeira vez

Oi menina!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Está pensando muito na chegada do baby? São nomes de bebês, enxovais, decorações, e muitos outros assuntos ao mesmo tempo.

E na saúde, já pensou?

Quem está grávida, seja da primeira, segunda ou qual vez for, sempre encara muitos “nãos” que nem sabia que existiam. Muitas futuras mamães brincam que até se assustam ao escutar “isso pode”, já que durante a gestação quase tudo é proibido. E se o foco é cuidar da saúde da mamãe e do bebê, isso vai além de assuntos isolados, como o que pode ou não comer, o que está liberado ou não quanto à beleza e estética, além da ginástica e outras questões.

 

1 – Diferença entre gripe e resfriado na gravidez

Um exemplo são os remédios. A mulher que tinha uma mini farmácia em casa agora está restrita a somente dois ou três tipos de remédios permitidos para toda a gestação. E quando acontecem os sintomas da gripe, fica sem saber o que fazer. Mas vale ressaltar que isso é comum de ocorrer, ainda mais nessa fase, pois a queda da imunidade da mulher durante a gravidez e a diminuição do sistema de defesa do organismo contra vírus e bactérias podem se tornar fatores de riscos para a gripe (ainda mais nas épocas frias do ano). De acordo com o Dr. Jurandir Passos, especialista em ginecologia e medicina fetal, para evitar complicações o recomendado é que o tratamento seja iniciado até dois dias após aparecerem os primeiros sintomas.

“Se não tratada adequadamente, a gripe pode evoluir para quadros de inflamação grave das vias aéreas, pneumonia viral ou bacteriana e, em casos mais raros, insuficiência cardíaca. Para as gestantes, qualquer complicação pode significar um aumento do risco de aborto ou parto prematuro”, ressalta o médico.

E a futura mamãe deve buscar ajuda sempre que necessário, não só quando a situação tiver se agravado. “A confusão entre resfriado e gripe acontece. Por isso, ao notar sintomas como febre, coriza, dificuldades para respirar e realizar atividades do dia a dia, é indicado procurar um médico”, explica o Dr. Jurandir. Além disso, ele adverte que o sistema respiratório da gestante também pode ser alterado com o crescimento do útero e o natural aumento da barriga. Ou seja, ela deve consultar um médico também por esse motivo, pois a gripe pode levar à pneumonia: a mulher fica com a respiração mais superficial e tem a expansão pulmonar diminuída, o que pode dificultar a respiração e aparecer complicações das vias respiratórias.

 

2 – Ai, minha lombar! Como evitar essas dores?

Que a gravidez é uma fase marcada por muitas mudanças, todos sabem. E que a barriga cresce, também. Mas o que muitas não sabem é como evitar a lombalgia, a dor na lombar e perto da bacia que acaba com o ânimo de muitas gestantes. Para evitar que esse problema se agrave, são necessários alguns cuidados.

 

grávida dores lombarSerá no terceiro trimestre da gestação, mais precisamente nas últimas semanas, que algumas alterações da postura ocasionarão mais desconfortos e aparecerá a lombalgia gestacional, um sintoma comum das futuras mamães. “Isto ocorre porque há um deslocamento do centro de gravidade do corpo para frente, em consequência ao aumento da barriga, fazendo com que a mulher adote uma postura para compensar as alterações. Esta postura é caracterizada pelo aumento da curvatura lombar, chamada de hiperlordose lombar, que sobrecarrega os músculos da região, causando dor”, explica Regis Severo, fisioterapeuta que atua na área de Pesquisa e Desenvolvimento da Mercur.

Se a grávida quer evitar que isso aconteça, deve adotar a prática de exercícios físicos de leve intensidade, que servem para a melhora da postura, proporcionando maior flexibilidade, força muscular e auxiliando na redução destes desconfortos. Isso, claro, sempre com a ajuda e a orientação de profissionais, para saber quais os melhores para o seu biótipo e necessidades. Além disso, o uso de órteses abdominais (também com indicação) pode ajudar na redução da sobrecarga aos músculos desta região e a uma menor pressão sobre a coluna lombar. “A órtese é ideal para sustentar o peso da barriga sem comprimir o abdômen, reduzindo a pressão sobre a pelve e o nervo ciático. Também serve para aliviar a tensão sobre os músculos e ligamentos, diminuindo o desconforto nas pernas e costas”, garante o fisioterapeuta.

 

3 – Olhos secos na gravidez? Como resolver?

olhos resecado durante gravidezMuitas mulheres passam por isso e não sabem o porquê, mas é comum que nos últimos meses de gestação elas tenham problemas na visão. Claro que nem tudo é causado pela gravidez, já que muitas se esquecem de arrumar a lente de contato, umedecê-las ou entram em contato com poluição e poeira, agravando a irritação dos olhos e ficando com as vistas alteradas. Mas muitas futuras mamães enfrentam problemas desse tipo que se estendem até o bebê nascer.

Segundo o médico oftalmologista Dr. Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, há quatro problemas oculares mais comuns durante a gravidez: olho seco, visão embaçada, desdobramentos da pré-eclâmpsia e desdobramentos do diabetes gestacional. “Durante a gravidez, a gestante pode perceber que os olhos estão mais secos que o normal ou sentir muito desconforto ao usar lentes de contato. A síndrome do olho seco, nesse caso, ainda pode provocar intensa irritação nos olhos”, conta o médico, indicando o uso de lágrimas artificiais específicas para lubrificar os olhos durante os nove meses.

Ele ressalta que a retenção de líquidos é um problema comum durante a gravidez, o que se associa à alteração na espessura e no formato da córnea. “Mínimas mudanças desse tipo são suficientes para resultar em visão distorcida ou embaçada, sem foco. Apesar do desconforto, não é preciso se alarmar.

O problema costuma ser transitório. Caso a gestante sinta uma mudança relevante na visão, poderá recorrer a lentes apropriadas para esse período, lembrando que as cirurgias corretivas devem ser adiadas para depois de o bebê nascer, já que haverá uma acomodação natural do grau no período pós-parto”.

 

diabete gestaçãoNos casos da pré-eclâmpsia e diabetes, ele sugere que o médico responsável pelo pré-natal fique ciente de qualquer sintoma, pois são casos que podem causar consequências mais graves à mamãe e ao bebê, exigindo cuidados especiais.

Ou seja, cuide sempre da sua saúde, que consequentemente é a do bebê também, para que a sua gestação seja um período gracioso e com poucos desconfortos!

 

Especialistas
Dr. Jurandir Passos
Tel.: (11)3047-4488
—————————————————
Regis Severo – Pesquisa e Desenvolvimento da Mercur
Tel.: (51)3719-9500
Site: Mercur.com.br
—————————————————
Dr. Renato Neves
Tel.: (11)3065-2420
Site: Eyecare.com.br
—————————————————

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here