O que há de novo na segunda gravidez?

segunda gravidez

Sempre falamos aqui sobre as descobertas das mamães de primeira viagem, levantando questões que muitas nem faziam ideia que existiam. Porém, mesmo que estimativas apontem que determinados casais optam somente por terem um filho, algumas pessoas sonham com a casa cheia de crianças, buscando não só o primogênito, mas o filho do meio, o caçula e, quem sabe, uma quarta ou quinta criança para a prole. Por isso, vamos falar sobre as outras gestações da mulher, que acreditem, também encaram muitas novidades e desbravam o desconhecido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O que toda barrigudinha precisa ter consciência é de que nenhuma gravidez é como a outra. Não estamos falando somente de mulheres diferentes, mas da própria pessoa passando pela alegria da gestação novamente. Então, diante disso, muita coisa pode acontecer: sensações se repetirem ou se modificarem totalmente. “A vantagem é que a mulher já sabe quais hábitos deve manter para controlar esses sintomas”, explica a Ginecologista e Obstetra, Dra. Erica Mantelli. E, claro todas devem usar esse conhecimento para o seu bem-estar, mesmo que algumas situações mudem (ela pode engordar mais na segunda gestação ou, em contrapartida, ter mais indisposições ou vômitos, e assim por diante).

Uma coisa é básica em toda gravidez: a mamãe precisa se cuidar sempre. “A mulher deve mudar os costumes, controlar o peso, fazer o uso de alimentos ricos em ácido fólico e realizar exames para certificar que a sua saúde está em ordem para que a gravidez ocorra sem complicações”, lembra a Dra. Erica.

 

Como conciliar a atenção à gravidez e ao primeiro filho?

Essa é uma questão que muitas se fazem, já que dessa vez há mais uma vida dependendo da mulher durante a sua gestação, que é o primogênito. Principalmente quando se trata de um bebê ou criança pequena, a mamãe acaba querendo se dividir em 100 para dar conta de tudo. E isso só fará mal a ela. A médica aconselha que nessas horas a mamãe fique tranquila e o casal se ajude.  “É comum a mãe se culpar por não estar conseguindo dar atenção aos seus outros filhos, por conta da gravidez, e ficar preocupada como será após o nascimento do caçula. É importante que a mãe mantenha a calma para aproveitar os dois momentos. Com paciência e planejamento conseguirá dar conta de ter uma gravidez tranquila e saudável, cuidando do bebê que está na barriga e dos filhos mais velhos”, afirma a ginecologista.

 

O que muda no corpo na segunda gestação?

Alguns mitos acabam deixando as mulheres apavoradas, já que o que mais existem são pessoas para contar o que “viram ou ouviram por aí”. Algumas acham que os seios ficarão flácidos e não voltarão ao normal, pois o corpo não aguenta “mais uma vez inchar e depois regredir”. Outras acreditam que isso ocorra com a barriga. E as dúvidas não param.

A médica salienta que o certo é esperar um ano entre uma gestação e outra, para que o corpo fique novamente preparado para as mudanças pelas quais passará. “As mamas e a musculatura abdominal permanecem flácidas, possui maior acúmulo de gordura e a mulher ainda pode sofrer com as varizes”, exemplifica a Dra. Erica. Já na segunda gravidez pode ser que ocorram algumas mudanças que a mãe consiga detectar com antecipação. Na primeira gestação a mulher costuma sentir a criança mexer entre 20ª e a 24ª semanas, enquanto na segunda experiência já começa a perceber esses movimentos por volta da 17ª. “Não se assuste se isso acontecer. Além disso, a barriga irá aparecer mais rápido também, pois a musculatura abdominal está mais flácida”, frisa a especialista.
Então, a história de que as mulheres ficam flácidas é verdade? Não! O que acontece é o corpo já saber o que irá acontecer e “facilitar”, além da própria mulher saber o que significam os sinais que está sentindo. “As mamães de segunda viagem conseguem perceber a diferença de uma contração de parto para as contrações de Braxton (as que são como se corpo estivesse “treinando” a mulher), o que tranquiliza a nova mãe”, esclarece a médica.

Outra vantagem é que as mulheres que tiveram parto normal na primeira gravidez tendem a sofrer menos na segunda quando chegar a hora. “As mães conseguem distinguir qual é o momento certo de ir para o hospital e também lidam melhor com a ansiedade, o que pode ajudar na hora do parto”.

Então, mamães, aproveitem as experiências anteriores e façam da outra gravidez um poço ainda maior de sensações especiais. Afinal, o que é bom merece ser repetido!

Por Priscilla Silvestre

 

 

 

Dra. Erica Mantelli Ginecologia e Obstetricia

Dra. Erica Mantelli – Ginecologia e Obstetrícia

Rua Bento de Andrade, 233- Jd. Paulista – SP

Site: Ericamantelli.com.br

Tel.: (011)3051-3121

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here