Depilação na gravidez: qual o melhor método?

Depilação na gravidez

Mesmo que muitas mulheres digam que não, aleguem não ter tempo com a vida corrida e ainda agora os detalhes da gestação, ou achem que o momento da gravidez é tão especial que se esquecem de si mesmas, é mais do que comum uma mulher ser vaidosa durante os nove meses nos quais espera um bebê. Personalidade não se muda com a gravidez e a futura mamãe deve sim se cuidar. Neste contexto, a depilação é outro assunto que muitas se perguntam como e quando fazer, focando as preocupações na estética, na higiene e na saúde.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por isso, antes de qualquer decisão o ideal é consultar o médico, pois cada caso é um caso e só o profissional que conhece bem o corpo da sua paciente, além das suas necessidades, saberá indicar os melhores procedimentos. Mas, para ressaltar os cuidados gerais, os médicos não recomendam a utilização de nenhum método depilatório nos três primeiros e nos três últimos meses, pois qualquer método que faça a gestante forçar uma contração pode ser prejudicial durante esses períodos.

Cristiane dos Santos Pereira, depiladora da Depilrica e com mais de sete anos de experiência na área, adverte que as dores durante o processo depilatório também podem crescer nessa época. “A maioria das mulheres tem um aumento significativo da sensibilidade durante a gravidez. Nesse período, a pele está mais propensa à dor e irritação, quadros que não necessariamente duram toda a gravidez. A região pélvica, por exemplo, é a que mais sente essa sensibilidade exacerbada”.

 

Apelando para a lâmina de barbear

Se a necessidade faz a situação, então é melhor recorrer à lâmina nestes casos. Mas, como a irritabilidade da pele aumenta, a esteticista Laura Martins indica que a mulher não a utilize todos os dias e sempre use produtos novos e higienizados. “A pele está mais sensível, então, forçar um aparelho ‘cego’ na pele ou a fricção várias vezes a machucará, causando dor, pelos encravados, abcessos e vermelhidão. Além disso, ela nunca deve dividir o aparelho, já que todo cuidado com a saúde dela e do bebê é pouco durante a gravidez”.

A depiladora Cristiane também ressalta que o afastamento dos ossos na bacia e o aumento do fluxo sanguíneo, especialmente na área vaginal, deixam a região sensível à dor. “Isso ocorre muito no início da gravidez e pode demorar um tempo até esse quadro se estabilizar. Os métodos de depilação fazem a diferença nesse momento, podendo representar maior ou menor desconforto, ou mesmo riscos médicos aos quais a gestante deve ficar atenta”.

 

Cera pode?

Durante a gestação, a cera é uma das melhores opções, seja quente, fria ou morna. Além de a mulher espaçar o tempo entre uma depilação e outra, deixando com que a sua pele se recupere, ainda se sente limpa e bonita, com a higienização em dia mesmo nessa fase tão especial da vida. “O que pode incomodar é que o aumento do fluxo sanguíneo em algumas mulheres pode trazer uma dor extra, principalmente nas primeiras semanas, quando o corpo ainda está se adaptando à nova situação”, lembra Cristiane.

Por isso, ela recomenda uma cera de qualidade, preparada com foco nas gestantes. “Feita com produtos naturais e com uma preocupação extra para esse público em específico, há materiais que se focam em diminuir esses efeitos de desconforto. Como existem vários tipos de cera para cada tipo de pele e região do corpo, o procedimento é muito mais seguro e menos doloroso”.

 

O que é proibido durante a gravidez?

A eletrólise, ou depilação a laser/definitiva, como é mais conhecida, é o procedimento que as mulheres jamais devem chegar perto durante a gravidez. Ela pode até parecer tranquila e segura, mas estudos não aprovam a sua utilização. Então, para que correr risco de afetar a formação da criança, não é mesmo? “O que sabemos é do aparecimento de manchas, já que os hormônios estão a mil por hora e cada mulher tem as suas particularidades. E como não há como fazer estudos em mulheres grávidas, então é melhor a mulher gestante optar por outras maneiras de se livrar dos pelos”, lembra Laura.

Cristiane recomenda que os cremes depilatórios também devam ser evitados. “Não há estudos que comprovem a segurança para a saúde do bebê, tendo inclusive médicos e fabricantes que não os recomendam para as gestantes por conterem amônia. A substância poder chegar à corrente sanguínea do bebê em formação através da pele e do sangue da mãe. Isso também ocorre com os produtos para o clareamento dos pelos. Não existem estudos que comprovem sua segurança”.

 

Depilação na gestação

Portanto, lembre-se de que há uma vida dependendo de você e, caso tenha dúvidas, consulte o médico para esclarecer a situação e indicar as melhores opções para o seu caso. E fique bonita sempre, afinal, você merece!

Por Priscilla Silvestre

 

Cristiane dos Santos Pereira – (11)2222-1127

Site: tsfranquias.com.br

Laura Martins – (15)2874-9844

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here