Raízes e asas: as maiores heranças para os filhos

Raizes asas para filhos

Uma vez eu li em um livro que as heranças mais importantes que podemos deixar para nossos filhos são raízes e asas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Essa ideia fez tanto sentido para mim, que todo dia a levo na minha mente, como uma direção para minhas ações, minhas decisões e meus cuidados em relação aos meus filhos.

Por que dar raízes?

Dar raízes é dar as coisas que irão alimentar os nossos filhos – não o seu corpo, mas a sua mente e o seu interior. É dar as coisas que lhes darão força para a caminhada pela vida. São os valores e princípios que eles aprendem e incorporam desde a tenra idade – e uma criança não aprende apenas com as nossas palavras, mas principalmente com as nossas ações – daí nossa grande responsabilidade como primeiros educadores.

Se nossos filhos tiverem raízes fortes, saberão trilhar com sabedoria os ciclos da vida. Saberão fazer escolhas coerentes. Saberão partilhar seus dons e seus bens, voltados para o bem. Não é isso que queremos deles, que sejam pessoas de bem?

Se nossos filhos tiverem raízes fortes, ventania nenhuma os derrubará. E eles se desenvolverão com caule vigoroso, com copa frondosa e ficarão carregados de bons frutos.

Por que dar asas?

Dar asas é dar a liberdade para que nossos filhos façam suas próprias escolhas. É dar o incentivo para que corram atrás dos seus sonhos e para que utilizem seus talentos, para que alcem voos magníficos ao longo de suas vidas. Dar asas é não prendê-los embaixo das nossas próprias asas – ao contrário, é deixá-los livres para experimentar, tentar, errar, cair, voltar, tentar de novo, mudar.

Se nossos filhos tiverem asas fortes, voarão mais longe, sentindo o prazer da jornada e o prazer da chegada ao destino. Saberão enfrentar as correntes de ar que poderão surgir contra e também saberão aproveitar o vento a favor.

Se nossos filhos tiverem asas fortes, terão segurança de acreditar em si mesmos e fazer belas conquistas e grandes realizações.

E é assim. Raízes e asas. Segurança e liberdade. Esteio e livre-arbítrio. O que poderia parecer uma dicotomia é, no fundo, tão complementar e verdadeiro. São heranças muito mais valiosas do que bens e propriedades. Heranças valiosas que o dinheiro não pode comprar.

 

Botei bebê bruçosMariana Sutti Copelli, 33 anos, é publicitária, mãe do Emanuel (7 anos), do Enrico (5 anos) e da Micaela (6 meses). Autora do livro “Botei o bebê de bruços – Crônicas de uma mãe de três filhos”, à venda pelo Clube de Autores:  www.clubedeautores.com.br

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here